Google Pixelbook Go – Review em Português

1895 1
sapmogo-mobile-2.gif

Aos poucos e poucos vão conhecendo os novos projetos do Life Patch e este é um deles. Trazer reviews de produtos acabadinhos de chegar ao mercado, mesmo que não sejam comercializados em Portugal. Fizémo-lo recentemente com o Pixel 4, aquando do lançamento do site, e agora é a vez do Pixelbook Go, o novo portátil da Google.

Os Chromebooks, categoria em que se encaixa esta máquina, são modelos que basicamente apresentam especificações técnicas modestas por preços mais em conta. Para ter uma ideia, existem Chromebooks a cento e poucos ou duzentos euros!! Atenção que nem todos andam por esse preço, e nem todos apresentam especificações medíocres. Há opções muito interessantes, como podem ver esta.

O Pixelbook Go é a mais recente aposta da gigante Google neste segmento, renunciando a características que vos descrevemos em cima. Estamos a falar de um portátil topo de gama, que pode ser comprado com até um processador Intel Core i7 de 8ª geração, 256GB de SSD, 16GB de memória RAM e Ecrã 4K. Esta combinação fica por um preço a rondar os 1500 euros!!

Nós optámos por testar a versão base, com processador Intel Core M3, 8GB de memória RAM e 64GB de SSD. A nossa unidade veio da Google Store no Reino Unido, por 649£ (o que em conversão direta dá aproximadamente 760€), com o serviço de redirecionamento de encomendas para Portugal da Forward2me foi possível receber o computador em casa.

Testar esta máquina não foi fácil, a começar na adaptação ao diferente layout do Teclado (que apesar de estarmos à espera, não é nada fácil de dominar, por causa da troca de assentos, etc), à adaptação de um novo sistema operativo.

Depois da adaptação, a desilusão…

Depois da adaptação, veio a grande desilusão. Que teve que ver com o sistema operativo e também em parte com o ecrã do modelo. Começando no ecrã, apesar de Full HD e apresentar cores vibrantes, achámos que não compensa o dinheiro que investimos a mais, versus, por exemplo, um Google Pixel Slate, que já encontrámos anteriormente em promoções bem interessantes. Apesar de não ser um bom produto, também pelo seu sistema operativo, o Pixel Slate apresenta um ecrã de altíssima resolução que o PixelBook Go não tem. Se não lhe faz confusão ver os pixels no ecrã este parágrafo foi inútil.

Se quer ter uma boa experiência a nível do Sistema operativo (que achamos que todos querem num computador) preste atenção! O ChromeOS não está (ainda) no patamar em que devia estar. Ele tem cerca de 10 anos e claramente está inacabado, pelo reviver constante de bugs, um dos mais irritantes que sentimos teve que ver com o desemparelhar frequente de uns headphones Bluetooth. Uma tarefa simples para um software gerir e que o ChromeOS não consegue. Para além disso, há a terrível experiência com apps da Play Store no computador, que nem são carne nem peixe. Algumas até funcionam bem no ChromeOS, outras são o terror.

Basicamente, o que funciona muito bem neste sistema operativo é a sua base angular, o browser Google Chrome. Aí não terá qualquer problema e se apenas pretende usar o computador para navegar na internet ficará mais que satisfeito. Também ficará satisfeito se instalar programas Linux no seu Chromebook! Sem dúvida alguma que me surpreenderam pela positiva. Não se pode dizer “não posso editar áudio ou vídeo no Chromebook”. Pode sim! Não é fácil de instalar, mas umas linhas de comando depois pode ter um Audacity ou Openshot instalado. A funcionar como deve ser.

Pontos positivos a assinalar

Apesar da experiência com o Pixelbook Go ter sido maioritariamente negativa, há pontos positivos a serem assinalados. Já vos falámos em cima da agradável surpresa com programas Linux, no campo do software, mas achamos que o design é o principal! Realmente, a Google acertou na receita de hardware do Pixelbook Go. Estamos perante um portátil que dá uma sensação de conforto muito grande, por causa de ser super fino, leve e ter uma textura agradável ao toque de magnésio pintado. O metal ondulado na parte de trás proporciona também uma grande sensação de conforto quando o transporta com a tampa fechada.

O teclado é sem dúvida alguma o mais agradável em que escrevemos, silencioso e bastante “clicky”.

Ele também se destaca a nível da autonomia de bateria. Eu no máximo consegui um resultado próximo das 10h de ecrã, o que é muito bom para um portátil! O sistema de áudio também é um ponto a destacar, é alto e separado em duas colunas (do lado esquerdo e direito do teclado).

Veredito final

O Pixelbook Go não deve fazer parte da sua lista de compras de 2020. Se está no mercado em busca de um Chromebook, procure por algo mais em conta e que não o faça sentir desilusão pelo dinheiro que gastou. Não podemos avaliar o Pixelbook Go com uma pontuação positiva, baseados apenas no seu design. A experiência num todo (principalmente com SO) é que conta e não foi agradável, com muita pena nossa.

1 comment

  1. Há 5 anos que tenho chromebooks e fico.espantado com a critica aqui feita sobre um computador manifestamente bom, embora ligeiramente caro para a classe em que se insere. Em todo o mundo sobe o número de utilizadores do chrome os relativamente aos sistemas instalados. Em Portugal, os comentaristas tem uma visão diferentee nem sequer se preocupam em verificar os ganhos alcançáveis pelo uso destes aparelhos. Esta critica não foca nada do que interessa aos potenciais utilizadores, é incompleta e malevolente

Deixe uma resposta