Phishing: como se proteger deste tipo de ataques?

273 0
Phishing: como se proteger
sapmogo-mobile-2.gif

O ano de 2020 e 2021 está marcado pela pandemia COVID-19, o que por consequência obrigou a uma adaptação em massa para o teletrabalho e comunicações online. Isso refletiu-se em ataques de phishing à escala mundial cada vez mais elaborados e que não deram tréguas a milhões de vítimas. Nesse sentido, saiba como se pode proteger dos ataques de phishing.

Segundo o mais recente relatório da Kaspersky, Portugal foi um dos países que mais sofreu com este tipo de ciberataque, aparecendo em segundo lugar no top mundial dos 10 países com mais vítimas de phishing. Em 2020 foram identificadas cerca de 430 milhões de tentativas de ataques de phishing. O Brasil lidera a tabela dos países com maior número de vítimas afetadas com 19,94%. Portugal aparece logo em segundo lugar com 19,73% do total de ataques. Apesar disso, os indicadores de ambos os países baixaram em relação ao ano de 2019. Nesse ano, o Brasil apresentava mais 10 pontos percentuais e Portugal mais 6.

Phishing: como se proteger

O mesmo relatório mostra a França em terceiro lugar com 17,90%, onde não aparecia no top 10 desde 2015. A Venezuela, que liderava o ranking em 2019, caiu para o oitavo lugar. Esta é a lista dos 10 países mais afetados por ataques de phishing:

  • Brasil: 19,94%
  • Portugal: 19,73%
  • França: 17,90%
  • Tunísia: 17,62%
  • Guiana Francesa: 17,60%
  • Catar: 17,35%
  • Camarões: 17,32%
  • Venezuela: 16,84%
  • Nepal: 16,72%
  • Austrália: 16,59%

Com a ascensão da pandemia, os cibercriminosos aproveitam-se da temática do COVID-19 como isco para difundir os seus ataques e segundo alertam os especialistas da Kaspersky, a tendência irá permanecer em 2021. Em virtude do setor empresarial ter que deslocar uma parte significativa dos seus colaboradores para um regime de teletrabalho, é espectável que os ataques a este setor sejam proeminentes. Do mesmo modo, os utilizadores de aplicações e serviços de mensagens devem permanecer atentos, pois a quantidade de spam e phishing direcionada a dispositivos móveis aumentará.

Como se proteger dos ataques de phishing?

Para se proteger do phishing e evitar este tipo de ataques a Kaspersky dá as seguintes sugestões:

  • Não abra quaisquer ficheiros ou anexos suspeitos, recebidos de fontes desconhecidas. Verifique sempre o formato do URL e a ortografia do nome da empresa, antes de descarregar algo. Os websites falsos podem ser muito semelhantes aos verdadeiros, mas haverá sempre algumas anomalias que o irão ajudar a detetar a diferença;
  • Não descarregue ou instale aplicações a partir de fontes não confiáveis;
  • Não clique em links recebidos de fontes desconhecidas ou anúncios online suspeitos;
  • Crie palavras-passe fortes e únicas, incluindo uma mistura de letras minúsculas e maiúsculas, números e pontuação, e permitir a autenticação de dois fatores;
  • Instale sempre as atualizações. Algumas delas podem conter correções para questões críticas de segurança;
  • Ignore mensagens que peçam a desativação de sistemas de segurança para software de escritório ou software antivírus;
  • Utilize uma solução de segurança adequada ao seu sistema e dispositivos. O Kaspersky Internet Security ou o Kaspersky Security Cloud são exemplos a ter em conta. Estes poderão indicar-lhe quais os websites que não devem ser abertos, protegendo-o contra malware.
Phishing: como se proteger
Ataques de phishing em 2020

Estas são algumas sugestões que certamente o ajudarão a se proteger contra os ataque de phishing. Já foi vítima de algum ataque desta natureza?

Continue a acompanhar toda a atualidade tecnológica mais relevante aqui no Life Patch e através das nossas redes sociais, FacebookTwitter e Instagram. Veja também as dicas que o LifePatch tem para si nesta página dedicada.

Samuel Pinto

Samuel Pinto

Nascido na belíssima cidade berço, tem como preocupação a relação entre o Homem e a tecnologia. “O problema não é se as máquinas pensam, mas se os homens o fazem” - Skinner

Deixe uma resposta