Mercedes-Benz revela ecrã de 56″ para usar no futuro EQS

254 0
Mercedes
sapmogo-mobile-2.gif

Atualmente é facilmente verificável que o mundo automóvel segue um caminho de digitalização em todas as frentes. Cada vez mais os comandos e indicadores analógicos estão a cair em desuso, dando lugar a ecrãs, maioritariamente táteis, que servem quer para mostrar toda a informação relevante à condução, quer para controlar aspetos e configurações do veículo e da viagem.

Sempre em busca da vanguarda, a Mercedes-Benz acabou de revelar um inovador display gigante de 56″, denominado de MBUX Hyperscreen, que será estreado no futuro modelo EQS. Basicamente, este generosíssimo ecrã ocupa toda a parte frontal do carro, de uma ponta à outra: mede 141 cm de largura.

O MBUX Hyperscreen é composto por uma única camada de vidro moldado a 650º, de forma a oferecer uma visualização perfeita. Apesar de aparentemente ser um só ecrã, na verdade o Hyperscreen é dividido em três displays OLED: um para o quadrante (painel de instrumentos), outro central para comandar o sistema de infoentretenimento e outras configurações, e um terceiro para ser usado pelo passageiro dianteiro. Estes dois últimos possuem, imagine-se, haptic feedback, à semelhança do que temos em alguns smartphones. Basicamente, é sentida uma vibração nos dedos ao selecionar determinadas opções do Mercedes.

A superfície é totalmente em vidro Gorilla Glass (nosso velho conhecido, mas em tamanhos mais modestos). A Mercedes desenhou uma interface à qual chama “Zero Layer”, que na prática melhora a facilidade de utilização, diminuindo os níveis ou camadas de menus e sub-menus, garantindo assim que as opções principais ou mais usadas estão rapidamente acessíveis.

A inteligência artificial também marca presença, dado que o carro consegue detetar padrões de uso e sugerir ações com base em comportamentos habituais por parte do utilizador. Por exemplo, se todos os dias a uma determinada hora é efetuada uma chamada sempre para o mesmo contato, o MBUX percebe essa rotina e a partir de um determinado ponto começa a sugerir ao utilizador que efetue essa mesma chamada, antecipando-se assim à ação humana. Isto acontece em todos os ecrãs, incluindo o do passageiro, que na ausência deste mostra imagens meramente decorativas.

Mas o MBUX Hyperscreen não é meramente uma “montra de informação”, há por trás hardware verdadeiramente poderoso: um CPU com 8 núcleos (de fabricante não especificado) e 24 GB de memória RAM com uma largura de banda de 46,6 GB/s. O recurso a uma câmara e a um sensor de luminosidade permite ajustar o brilho dos ecrãs às condições de iluminação ambiente, de forma a não perturbar a condução, principalmente à noite.

Continue a acompanhar toda a atualidade tecnológica mais relevante aqui no Life Patch e através das nossas redes sociais, FacebookTwitter e Instagram.

Pedro Alves

Pedro Alves

Entusiasta por tecnologia, está sempre em busca de nova informação. Amante de animais, da Lego e de Fórmula 1. Conduzir ao som de uma boa banda sonora faz parte dos seus momentos de descompressão.

Deixe uma resposta