Futuros iPhones sem porta de carregamento? Sim, é possível

97 0
futuros iPhones sem porta de carregamento
sapmogo-mobile-2.gif

Sim, leu bem, é possível os futuros iPhones virem sem a porta de carregamento Lightning. Na verdade, os rumores sobre uma eventual retirada da porta Lightning do iPhone já não são novos. Há uns bons meses Ming-Chi Kuo e Jon Prosser afirmaram que em 2021 chegaria um iPhone sem portas.

No entanto, as novas políticas da Apple em remover o carregador e os fones de ouvido da caixa, despertaram a fúria de muitos utilizadores das redes sociais. Era espectável que isso acontecesse, mas embora seja uma decisão controversa, a verdade é que poderá ditar uma mudança significativa e ainda mais polémica, que é precisamente a chegada de futuros iPhones sem a porta de carregamento Lightning. Talvez se pergunte, o que é que a retirada do carregador e os EarPods têm a ver com a retirada da porta Lightning. Vamos aos factos e tentar perceber.

Sustentabilidade ambiental. Só isso?

Foi com pompa e circunstância que Lisa Jackson, vice-presidente do departamento de iniciativas sociais, políticas e ambientais, anunciou no telhado do Apple Park, a retirada destes acessórios por questões de sustentabilidade ambiental de forma a reduzir as emissões de carbono. Ok, de facto é um argumento válido, mas isso por si só não convenceu os críticos, que (e com razão) atacaram a Apple ao afirmarem que alguns modelos do novo iPhone 12 estão mais caros, e ainda por cima não trazem os acessórios dentro da caixa. Seria mais justo reduzir o custo dos acessórios por cada iPhone vendido. Embora a Apple tenha reduzido o custo desses acessórios a quem os queira comprar por fora, isso não foi suficiente para calar os críticos. Além disso, novos clientes de iPhones terão obrigatoriamente que comprar um adaptador ou uma base sem fios para poderem carregar o seu equipamento.

Como se não fosse suficiente, outros modelos já estabelecidos no mercado também deixarão de incluir os EarPods e o carregador dentro das respetivas caixas. A saber, o iPhone 11, o SE 2020 e o XR. A única exceção mundial é a França, que devido às leis do país, a Apple é obrigada a entregar uns EarPods a cada cliente que compre iPhones novos. Mas mesmo na França o carregador também não vem incluído na caixa.

Apple, a máquina de fazer dinheiro

É evidente que a Apple é uma máquina de fazer dinheiro, e o seu claro objetivo com esta decisão não é só pela sustentabilidade ambiental, mas sim também empurrar os utilizadores para a compra de soluções sem fios, como as suas bases de carregamento e os AirPods. Os críticos neste ponto também têm razão.

O ponto de destaque, é que todos os modelos de iPhone supracitados têm recurso ao carregamento sem fios. A mesma lógica se aplica aos acessórios oficias para música, em que a esmagadora maioria deles tem a tecnologia sem fios. Portanto, mesmo que no futuro a Apple apresente iPhones sem porta de carregamento, a verdade é que os modelos atuais teriam exatamente o mesmo funcionamento. Não deixa de ser curioso este detalhe.

Em abono da verdade, comprar qualquer acessório oficial sem fios da Apple para carregar os dispositivos ou para ouvir música, certamente que ficará caro a qualquer utilizador. E claro, o dinheiro custa muito a ganhar! Mas mesmo assim, é possível qualquer utilizador ter acesso a uma utilização e experiência sem fios, sem recorrer aos preços elevados que a Apple pratica pra os seus acessórios wireless.

futuros iPhones sem porta de carregamento

Atualmente não faltam alternativas baratas e funcionais, (seja bases de carregamento ou headphones sem fios) sem recorrer aos acessórios oficiais e caros da Apple. Atualmente o mercado está inundado com muitas soluções de áudio wireless e bases de carregamento sem fios para todo o tipo de carteiras. A qualidade será igual? Certamente que haverá diferenças, mas apesar das diferenças, o utilizador conseguirá ter uma experiencia parecida, ou quiçá, até igual.

MagSafe, o regresso…

Outro detalhe que pode indicar o fim da porta de carregamento nos futuros iPhones, são os acessórios com a “ressuscitada tecnologia” MagSafe. O MagSafe basicamente é um íman na face traseira do dispositivo que permite corrigir o posicionamento do iPhone quando colocado em cima de um carregador sem fios. O objetivo da Apple ao trazer esta funcionalidade é apenas proporcionar uma maior facilidade e segurança aos utilizadores. Também acho curioso a Apple ter apresentado um carregador sem fios desta natureza.

Mais importante que os carregamentos sem fios

Mas existem questões que certamente serão mais importantes do que arranjar alternativas ao carregamento dum hipotético dispositivo sem porta de carregamento.

  • Se porventura necessitar de restaurar o meu iPhone, como consigo fazê-lo sem porta Lightning?
  • Como passo os dados do iPhone para o meu PC ou Mac?
  • Como colocar o dispositivo em modo depuração (DFU)?

A solução poderia ser resolvida de duas formas. Para a primeira e segunda questão, não é difícil a Apple implementar ou criar um software em que o restauro e a transferência de dados do dispositivo possa ser feita sem fios. Aliás, hoje em dia, existe uma variedade de software que permite a passagem dos dados entre o iPhone e um computador sem recurso a cabos, basta estar tudo conectado à mesma rede Wi Fi.

Para a terceira questão, também se poderia implementar uma solução que sempre existiu no mundo Android, que é a existência duma partição única e exclusiva para a reinstalação do sistema operativo. Logicamente que em teoria estas soluções parecem fácies, na pratica poderá não ser exatamente assim. Seja como for, se estas questões forem assim tão simples, fica evidente que as portas de carregamento poderão não fazer falta.

CarPlay, uma solução simples, mas complexa

Por conseguinte, fica a faltar uma resolução dum problemas que é o suporte sem fios ao CarPlay. Atualmente algumas marcas de automóveis oferecem suporte sem fios nos seus veículos. Se acaso fosse lançado um iPhone sem porta Lightning, como ficariam os atuais utilizadores do CarPlay que dependem do cabo para poderem usar essa funcionalidade nas suas viaturas? Eu incluído.

A resposta tem tanto de simples como de complexa. A solução simples seria a fabricante dos veículos em questão fazerem o “upgrade” para a solução sem fios. A solução complexa, é que mesmo que isso seja possível em alguns modelos, certamente terá um custo associado e elevado. Ainda assim, a probabilidade de muitos veículos não terem essa possibilidade é deveras elevada. Não é possível saber se a Apple terá solução para essa situação, caso as portas dum hipotético iPhone no futuro venham a ser excluídas. Haverá algum dispositivo que permita o uso do Apple CarPlay sem fios? Eventualmente, mas eu desconheço. Apenas conheço dispositivos desse género que dão suporte sem fios ao Android Auto.

Futurologia mental

Vamos entrar pura e simplesmente no campo da especulação e imaginado que os futuros iPhones virão sem porta de carregamento Lightning. Será que mais uma vez a Apple poderia ditar uma tendência no mercado? Outras fabricantes de smartphones, estariam em condições de entregar um produto com as mesmas características, sem sacrificar a usabilidade dos equipamentos?

Se eventualmente estes rumores se confirmarem, será uma mudança que terá um forte impacto e a poderá abrir portas para um modelo revolucionário e que diferenciará a Apple das outras fabricantes. Quem não se lembra do abandono das disquetes, das drives de CD/DVD, portas USB-A e por último a porta para a ficha Jack 3,5 mm? Na altura a fúria de muitos utilizadores e a chacota das empresas concorrentes era bem evidente, mas a realidade é que essas tecnologias acabaram por desaparecer e hoje o mercado mostrou que a Apple fez o que era certo.

O que acha desta hipotética possibilidade de os futuros iPhones não terem as portas de carregamento Lightning? Compraria mesmo assim?

Continue a acompanhar toda a atualidade tecnológica mais relevante aqui no Life Patch e através das nossas redes sociais.

Samuel Pinto

Samuel Pinto

Nascido na belíssima cidade berço, tem como preocupação a relação entre o Homem e a tecnologia. “O problema não é se as máquinas pensam, mas se os homens o fazem” - Skinner

Deixe uma resposta